Valley of The Boom [trailer]

A série

Valley of The Boom é uma produção do Nat Geo que retorna à década de 90 para contar a história do nascimento da internet como a conhecemos hoje.

Briefing


Fazer um trailer que caiba num disquete (1.44mb), a mídia mais popular do período em que a série se passa. A primeira ideia era fazer um arquivo em .txt com os frames da animação dispostos de cima para baixo. Quando o usuário fizesse o scroll no documento os quadros se sucederiam dando forma à animação.

Twitter ASCII Animation

Depois de alguma pesquisa, encontramos referências que nos encorajaram a buscar uma maneira de fazer a sequência tocar sem depender do scroll.

 

Donut e Star Wars Trailer

Testes

A primeira etapa do processo foi converter cada tom de cinza em uma escala de caracteres. Dessa forma,

o “ ” [espaço] representaria o preto 0%, o ”@” [arroba] o branco 100%. Usamos diversos outros caracteres para representar os tons de cinza intermediários.

Formato

Diferente dos trabalhos que fazemos normalmente, desta vez não pudemos medir a definição do vídeo em pixels e sim em caracteres. Contando que o vídeo teria 30” tivemos que calcular quantos caracteres poderíamos usar a cada frame sem que o tamanho do arquivo final ultrapassasse o limite físico do disquete.
Considerando que a área que ocupa um caractere não é quadrada como a do pixel, para que o vídeo tivesse um formato equivalente ao 16:9, chegamos à resolução de 100x30 caracteres.

Storytelling

Na prática, o efeito da técnica que utilizamos é o mesmo do pontilhismo, o que significa que quando olhamos para o vídeo de perto podemos não conseguir visualizar alguns detalhes que ficam claros assim que damos um passo atrás.

Como efeito da limitação na resolução, tivemos também que simplificar o roteiro, deixando cada cena mais minimalista.

Ferramentas Criadas

Quando desenvolvemos um projeto experimental como esse, algumas das ferramentas de que precisamos para fazer tudo funcionar simplesmente não existem e temos que criá-las do zero.

Som

No início da era da internet os sons reproduzidos pelos computadores eram construídos por meio de uma plataforma de timbres chamada General MIDI, uma plataforma universal que permitia que qualquer máquina equipada com uma placa de som reproduzisse música e efeitos sonoros. Retornamos a essa tecnologia para criar a música e alguns efeitos da peça. E a grande limitação, que foi trabalhar com essa deficiência e pobreza de definição sonora, também foi um trunfo que ajudou a reduzir o tamanho do arquivo final, já que arquivos MIDI pesam muito pouco.

Fechamento do arquivo

Precisávamos garantir que a experiência do usuário fosse a mesma, independente da versão do Windows que ele utilizasse. Como os terminais são diferentes em cada versão do sistema operacional, não poderíamos fazer o vídeo rodar dentro do terminal (cmd.exe). Assim decidimos fazer um programa executável, que roda o vídeo em tela cheia de maneira autônoma. Isso permitiu uma experiência consistente entre as diferentes plataformas.
Para reduzir o tamanho da animação e da música, usamos uma compressão do tipo RLE (Run-Length Encoding), e os dados da música e da animação foram embutidos no arquivo .exe.

Download do trailer em .EXE

Créditos

National Geographic Channel

Executive Creative Director: Alex Mendes


Roteiro: Vitor Barbato e Laura Manfredini


Design: Keryma Lourenço


Produção: Natalia Soares e Estela Garcia

 

Llama Studio

 

Direção - Guilherme Ferreirinha

 

Direção de Arte - Christo Silveira

Artista 3d - Fernando Magalhães

Motion Design - Guilherme Ferreirinha e Fernando Magalhães

Programação - Fernando Magalhães

Desenvolvimento de Software - Marco Casarol

Direção de Fotografia - Rodrigo Fonseca

Locação - Cena Galpão

Edição & Correção de Cor - Guilherme Ferreirinha

Music & Sound Design - Paulo Beto

 

Tons de Cinza - Ferramenta que converte cada um dos tons de cinza no caractere correspondente.

 

Contorno - Ferramenta que detecta o contorno dos objetos na cena e assinala o caractere com a inclinação correta para reproduzir aquela forma.

 

Animação de posição - Como os caracteres não têm o mesmo tamanho dos pixels, precisamos criar uma ferramenta que traduzisse os deslocamentos em pixel para a medida correspondente em caracteres.

Promo

Como o drive de disquete, tão popular na década de 90, não está mais presente nas máquinas modernas, fizemos um promo em que gravamos o vídeo rodando numa máquina com Windows XP.